Páginas

segunda-feira, 2 de abril de 2012

CRISE CIVILIZATÓRIA


[QUESTÃO AMBIENTAL]

A maioria das questões ambientais está intimamente relacionada ao risco, pois são resultados da expansão da ciência e da tecnologia. O aquecimento global refere-se ao aumento gradual da temperatura terrestre, provocado pela elevação dos níveis de gás carbônico e de outros gases na atmosfera. As conseqüências potenciais do aquecimento global são severas e incluem enchentes, disseminação de doenças, condições climáticas extremas e aumento dos níveis de mares. O aquecimento global oferece riscos potenciais a toda a espécie humana, mas é difícil organizar os esforços para combatê-lo, porque as causas e as possíveis conseqüências desse problema são muito difusas. Os agentes desse possível combate estão na sociedade civil atuando em movimentos sociais e em ONG’S.
A ideia do desenvolvimento sustentável [a noção de que o crescimento econômico deve avançar apenas até o limite da reciclagem dos recursos naturais, e não do seu esgotamento, de que a biodiversidade seja preservada, e o ar puro, a água e a terra protegidos] ajudou a promover algumas modificações importantes no campo ambiental. Entre elas, encontram-se especialmente os conceitos de ecoeficiência e de modernização ecológica. A ecoeficiência significa o desenvolvimento de tecnologia que sejam eficazes na geração do crescimento econômico, mas que assim o façam com um custo mínimo para o meio ambiente.
As possibilidades oferecidas pela modernização ecológicas, pelo menos em algumas áreas de produção, seria possível atingir um desenvolvimento econômico acelerado sem a poluição gerada pelas antigas economias industriais, pois a tecnologia da informação desempenhará um papel mais importante.
Até mesmo os mais firmes defensores da modernização ecológicas se vêem forçados a admitir que o resgate ambiental do planeta provavelmente exigirá mudanças nos viveis de desigualdade que atualmente existe no mundo. Os países industrializados hoje respondem por apenas um quinto da população mundial. Entretanto, eles são responsáveis por mais de 75% da emissões de gases que servem para poluir a atmosfera e acelerar o aquecimento global. Pessoas que vivem em condições de miséria econômica não têm outra escolha senão aproveitar ao máximo os recursos locais disponíveis. Dessa forma, é impossível pensarmos o desenvolvimento sustentável sem relaciona-lo com as desigualdades globais/sociais gerados por um modelo de desenvolvimento que privilegia o acúmulo de capital fruto da exploração predatória e desigual dos recursos do planeta.

Assista ao documentário e aprenda um pouco mais!
Encontro com Milton Santos ou o Mundo Global Visto do Lado de Cá



Sem comentários:

Enviar um comentário